Agricultores do sertão do Ceará retomam produção de algodão após quase 40 anos

Na década de 1980, lavouras do estado foram destruídas pelo bicudo do algodoeiro e, agora, graças à pesquisa, produtores vão retomando a atividade.

Agricultores do sertão do Ceará retomam produção de algodão após quase 40 anos Agricultores do sertão do Ceará estão retomando a produção de algodão no estado com ajuda de pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e governo estadual. O Ceará já foi o maior produtor de algodão do Nordeste e um dos principais do país, mas, na década de 1980, a praga do bicudo-do-algodoeiro praticamente extinguiu a produção.

Naquela época, o estado perdeu 1,2 milhão de hectares da cultura. Por causa do trauma, a volta da cultura ainda é tímida.

Para viabilizar o retorno da atividade, o governo do Ceará criou um projeto de modernização do algodão e a Embrapa faz testes para escolher as sementes mais apropriadas para a região. A principal estratégia adotada foi o vazio sanitário.

O governo cearense determinou que entre 1º de outubro e 31 de dezembro é proibido plantar algodão no estado.

Atualmente, Mato Grosso e Bahia são os principais estados produtores de algodão do país.

Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima.

Categoria:Economia