Flagrante de sanhaçu-escarlate intriga pesquisadores e observadores de aves

Normalmente a ave migra para a América do Sul quando aqui é verão; localização do registro na Bahia também é incomum no trajeto natural da espécie.

Flagrante de sanhaçu-escarlate surpreendeu guia de observação de aves O mês de julho começou cheio de surpresas para o guia de observação de aves aves Nido Cafezeiro.

Entre as mais de 30 espécies que frequentam o comedouro instalado no quintal dele, em Itacaré (BA), um visitante ilustre chamou atenção do observador.

A câmera, estrategicamente posicionada para registrar as aves, flagrou um indivíduo diferente dos demais, com plumagem avermelhada, característica que ajudou na identificação do raro sanhaçu-escarlate (Piranga olivacea).

“Quando ele pousou no comedouro eu percebi que não se tratava de uma espécie comum da região, pois não o reconheci.

Então enviei o registro para alguns especialistas que identificaram para mim.

Foi uma surpresa imensa fazer um flagrante tão inusitado no meu quintal”, conta. Guia de observação fica de plantão no comedouro na expectativa de registrar a ave novamente Nido Cafezeiro/Arquivo Pessoal São muitos os motivos para a surpresa.

“Essa espécie migra quando é inverno no Hemisfério Norte e verão aqui.

Nesse caso, o indivíduo apareceu no auge do nosso inverno, o que é completamente inesperado”, comenta o ornitólogo Luciano Lima. O especialista destaca ainda a localização do flagrante, outro detalhe que chama a atenção dos pesquisadores.

“No período de migração o sanhaçu costuma ir para o noroeste da América do Sul.

Aqui no Brasil há registros da ave no extremo oeste da Amazônia.

Por isso, a aparição em Itacaré é incoerente com a rota tradicional de migração”, diz. Plumagem vermelha e preta é característica dos machos Silmar Primieri/Arquivo Pessoal A questão agora é entender o que aconteceu com a ave.

“Nesses casos consideramos o animal como aves vagantes, que podem errar a rota e aparecer fora da distribuição habitual para onde migram, em lugares totalmente inesperados.

Provavelmente o indivíduo fez migração reversa, ou seja, passou o 'período não reprodutivo' na América do Sul e, na hora de migrar para o Norte, mudou o trajeto”, explica o ornitólogo.

“Por ser um único indivíduo é difícil que esse ‘erro’ no trajeto tenha algum efeito para a espécie", finaliza o especialista.

O indivíduo flagrado por Nido foi visto uma única vez.

Desde então o observador não tira os olhos das câmeras e do comedouro.

"Estou diariamente de plantão no comedouro e nas redondezas, na esperança de observar a espécie novamente", comenta. O tom verde toma conta da plumagem do macho durante o outono e o inverno da América do Norte Edson Endrigo/Arquivo Pessoal Cores da temporada Além de ser migratório, o sanhaçu-escarlate chama atenção pelas cores da plumagem.

Enquanto a fêmea mantém tons esverdeados, os machos mudam a cor de acordo com a estação: as penas vermelhas com asas e cauda negras são substituídas pelo verde durante o outono e o inverno da América do Norte, quando migram para o Sul. Além da mudança nas cores, a vocalização da ave também se destaca durante a migração e não apenas na época da reprodução.

Uma curiosidade sobre o período reprodutivo é que o casal fica responsável pela segurança do ninho, que abriga de três a cinco ovos azul-esverdeados.

A fêmea escolhe o ambiente para a construção, geralmente com sombra, no alto de árvores maduras, e dedica de três a quatro dias para finalizar a ‘obra’, feita com galhos, gramíneas, caules de plantas e raízes.

O interior é forrado com grama, fibras vegetais e raízes finas. Este indivíduo foi registrado no Canadá, uma das áreas de ocorrência da espécie Silmar Primieri/Arquivo Pessoal Insetos e frutas compõem a dieta da ave, que se alimenta de formigas, moscas, mariposas, borboletas, besouros, gafanhotos, cupins, cigarras, minhocas, aranhas e caracóis.

A busca pelo alimento é feita no alto das árvores e a captura, por vezes, acontece enquanto pairam no ar. Durante a estadia na América do Sul, as aves se juntam a bandos mistos com aves locais A ave pode ser observada no Canadá, Estados Unidos, México, Cuba, Porto Rico, Guatemala, Nicarágua, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia. Flagrante do sanhaçu-escarlate na Bahia pode ter sido resultado de um erro na rota Arte TG
Categoria:SP - Campinas e região